sábado, 4 de junho de 2016

Programa Motyrum participa de Audiência Pública no Arena do Morro

Quem acompanha as ações do Programa, sabe que o Motyrum tem um histórico no bairro de Mãe Luíza. Neste sábado que antecede o Dia Mundial do Meio Ambiente, o Motyrum voltou à Comunidade para participar de Audiência Pública realizada na Arena do Morro – vale salientar, internacionalmente premiada na categoria “Arquitetura Esportiva” pelo "Building of the Year 2015".

A Audiência Pública tratou de tema extremamente relevante para toda capital potiguar: a regulamentação da Zona de Proteção Ambiental nº 10 (ZPA-10) que se caracteriza como uma área de encostas dunares localizada no bairro que fica no coração da cidade de Natal e teve sua história iniciada por ocupações de famílias vindas do interior do Estado, em busca de melhores condições vida. 

Nesse sentido, as ZPAs aparecem como instrumento legal para definir bases de uso e ocupação do solo, com vistas a proteger o meio ambiente urbano e trazer a possibilidade de garantir o Direito à Cidade dos moradores de Mãe Luíza, promovendo a preservação do patrimônio paisagístico, histórico, cultural, turístico e ambiental do município.

Para tanto, é necessário que esses espaços de debate sejam marcados fortemente pela presença do povo de Mãe Luíza e dos natalenses, com atenção especial aos jovens. Essa é a opinião da Professora Josélia dos Santos, moradora do bairro desde janeiro de 1968, para ela, que iniciou a participação nas ações da comunidade por meio de um grupo de jovens "[...] a juventude é quem vai pensar e construir o amanhã, principalmente, pra essa comunidade e paras demais comunidades também. O jovem hoje, ele tem uma abertura maior, ele tem uma possibilidade maior de estar discutindo, de estar se encontrando, de estar propondo alternativas que venham para melhorar a qualidade de vida nas comunidades". Além disso, a Professora Josélia lamenta, concordando com falas de outros moradores na Audiência, que os documentos e pronunciamentos das autoridades tem "um conteúdo muito técnico, um linguajar que não é apropriado para comunidade". 

No cenário presente, o Programa Motyrum reforça seu papel defensor dos Direitos Humanos e entende que a participação democrática exige acessibilidade a todas as pessoas, incluindo não somente o espaço físico em que são realizadas as Audiências, como também, a divulgação e compreensão pelos cidadãos sobre as temáticas nelas debatidas. Sumariamente, entendemos que, diante disso, emerge a importância da Educação Popular, eixo que fundamenta as ações nas comunidades que atuamos ao longo da nossa história. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário